Páginas

quarta-feira, 4 de março de 2015

Festival de Teatro de Curitiba apresenta 29 espetáculos na Mostra e 393 no Fringe

Nômades

 Double Rite
 Drummond
 Samba Futebol Clube Leo Aversa
 Spon Spoff Spend
Cacá Diniz
 Fishman 
Tatiana Amorim
Pessoas Perfeitas
André Stefano





O 24º Festival de Teatro de Curitiba será realizado de 24 de março a 5 de abril e reunirá 29 espetáculos na Mostra, sendo sete estreias nacionais e quatro atrações internacionais, e 393 espetáculos no Fringe. O evento é apresentado pelo Banco Itaú e Tradener, tem patrocínio da Renault do Brasil, Petrobras, Copel, Fundação Cultural de Curitiba/Prefeitura de Curitiba e UEG Araucária e apoio da Itaipu Binacional.

A venda dos ingressos está disponível pela internet (www.festivaldecuritiba.com.br) e nas bilheterias oficiais do evento, instaladas no ParkShoppingBarigüi, Shopping Mueller e Palladium Shopping Center. Os ingressos para os espetáculos da Mostra custam R$ 70,00 e R$ 60,00 (inteira) e R$ 35,00 e R$ 30,00 (meia-entrada). Os valores maiores são para os espetáculos em cartaz nos teatros Guaíra, Guairinha, Positivo e Bom Jesus, que têm custos de bilhetagem superiores aos demais.

Os ingressos para o Risorama também custam R$ 60,00 (entrada inteira) e R$ 30,00 (meia entrada). Já os ingressos para o Mish Mash e Guritiba, dois eventos simultâneos voltados para as crianças e famílias, custam R$ 40,00 (entrada inteira) e R$ 20,00 (meia entrada).

Os preços para os espetáculos do Fringe variam de gratuitos a R$ 60,00. Nos teatros José Maria Santos e Mini Guaíra, os valores informados no Guia Oficial Festival de Curitiba 2015 (páginas 64 a 178) serão acrescidos de R$ 10,00 em razão do custo de bilhetagem dessas salas.

A Mostra apresenta neste ano sete estreias nacionais – SPon SPof SpendPost ScriptumOEAbnegação 2Meu Saba, Fishman eEnsaio Para Um Adeus Inesperado – e quatro atrações internacionais: A House in AsiaDouble RiteSurfacing e Numax.

A programação reúne, ainda, as peças Gotas D’Água Sobre Pedras EscaldantesSilêncioOh! Os Belos DiasNêgoDrummond,Pessoas PerfeitasBeije Minha LápideAtravés de Um EspelhoDesalinhoLet’s KissMáquina Fatzer, NômadesAdorável GarotoSelfie e Depois do Ensaio, além dos musicais Dias de Luta, Dias de Glória, sobre o grupo Charlie Brown Júnior, e Samba Futebol Clube, sucesso multimídia de 2014 que recebeu 12 indicações aos prêmios Shell e Cesgranrio de Teatro.


FRINGE
O Fringe chega à sua 17ª edição com 393 espetáculos que ganharão as ruas, praças, palcos e espaços alternativos de Curitiba em 12 dias de programação.

O evento reunirá dez Mostras Especiais, sendo cinco novas: Mostra de Teatro Universitário Grutum!, que estreia no Fringe com produções de grupos universitários; Gloriah Vigor Mortis, que apresentará uma seleção dos trabalhos da companhia curitibana homônima, sob a direção de Paulo Biscaia; 20 anos do Pé no Palco, que celebra as duas décadas da companhia teatral criada por Fátima Ortiz; I Mostra Pernambucana de Teatro para Infância, que vai inaugurar o mais novo espaço teatral de Curitiba, o Estúdio 455; e Ilíada Homero Grécia 2016, que reúne dez espetáculos com os cantos da obra grega de Homero.

Além disso, a plateia poderá escolher os espetáculos das Mostras já conhecidas do público do Fringe, como Sonora CenaMostra Ademar GuerraAve LolaNovos Repertórios Sesi Dramaturgia.

AS ESTREIAS NACIONAIS
Abnegação II – O Começo do Fim – Produção do grupo Tablado De Arruar, de São Paulo, é a segunda parte da trilogia homônima, iniciada em 2014, que trata das relações de poder no interior de um partido político. A trama traz cinco personagens ligadas à estrutura do poder, diante de uma situação com dimensões nacionais em que cada decisão poderá gerar consequências catastróficas.

Fishman – O grupo cearense Bagaceira de Teatro retorna ao Festival de Teatro para celebrar seus 15 anos com esse novo espetáculo. Nesse trabalho, o grupo lança desafios no âmbito da construção cênica e da dramaturgia para chegar a um adensamento de sua linguagem própria, com a intenção de provocar uma reflexão sobre o que é produzido no Nordeste.

OE – Novo espetáculo solo de Eduardo Okamoto, coloca no centro das atenções o espaço, o ator e a palavra. Inspirado na obra doescritor japonês Kenzaburo Oe (Prêmio Nobel de Literatura/1994), o processo de pesquisa incluiu um estágio de Okamoto no Kazuo Ohno Dance Studio, no Japão. Com encenação de Marcio Aurélio, a dramaturgia é assinada por Cássio Pires.

Meu Saba – Baseado no livro de Noale Ben-Artzi Pelossof, intitulado “Saba – Em Nome da dor e da Esperança”, esta é a primeira montagem teatral livremente inspirada na obra da autora conta a sua história e a de seu avô, o ex-primeiro-ministro de Israel Yitzhak Rabin, assassinado por um israelense contra o movimento de paz. O espetáculo, que se passa num átimo de 30 segundos, tem Clarissa Kahane como protagonista, sob direção de Daniel Herz.

SPon SPoff Spend – Primeiro trabalho adulto da Maracujá Laboratório de Artes, o espetáculo joga o olhar da plateia para a teia de relações de uma comunidade de mendigos que vive embaixo de um viaduto em São Paulo. Marca a comemoração dos 10 anos do grupo e a primeira vez que a companhia atua com um diretor convidado, Fernando Escrich, que fez parte do grupo Doutores da Alegria. Na história, cinco personagens circulam por dois diferentes planos narrativos. Em um deles encontra-se uma comunidade de mendigos. Em outro plano, uma equipe de filmagem está produzindo um filme tendo como tema uma sociedade formada unicamente por mendigos.

Post Scriptum – Novo trabalho da Companhia Teatral Arnesto nos Convidou (SP). Com texto e direção de Samir Yazbek e dramaturgia de Helio Cicero, aborda o conflito entre israelenses e palestinos por meio de uma família radicada no Brasil, formada pelo Pai, palestino e muçulmano, a Mãe, libanesa e cristã ortodoxa, o Primogênito, brasileiro e muçulmano e o Caçula, brasileiro de formação católica.

Ensaio para um Adeus Inesperado – Com texto de Sergio Roveri e direção de José Simões e Jean Carlos Sanches, essa produção curitibana traz ao palco os atores Fátima Ortiz e Pedro Bonacin. O texto aborda questões existenciais profundas que se desdobram nas narrativas de uma mãe, cujo filho se matou sem deixar qualquer bilhete, e de um filho que rememora suas experiências mais íntimas decidindo-se ir embora. O espetáculo marca os 20 anos da companhia Pé no Palco Atividades Artísticas.


ATRAÇÕES INTERNACIONAIS
No espanhol “Numax”, o público desempenha um papel importante.  O texto é baseado em filme sobre o colapso de uma tentativa de gerir a fábrica de eletrodomésticos Numax, na Espanha. Dirigidos por Roger Bernat, os atores em cena promovem um verdadeiro julgamento para decidir o futuro dos trabalhadores e pessoas da plateia serão convidadas a participar, característica presente nos trabalhos do diretor.

A House in Asia”, do grupo catalão Señor Serrano, constrói um retrato pop da década que seguiu os atentados de 11 de setembro, usando maquetes, videoprojeções, manipulação de vídeo em tempo real, videojogos, mundos virtuais e performance. O espetáculo parte do episódio da invasão à casa de Osama Bin Laden que resultou na morte do terrorista.

Na performance multimídia “Surfacing”, o ator, cantor e compositor americano Holcombe Waller combina música, dramaturgia, vídeo e dança a relatos fictícios. Walleré é conhecido por compor para concertos, cinema e dança, bem como para seus próprios projetos de performance interdisciplinares. Temas como nostalgia, intimidade e a busca de significado espiritual são recorrentes em suas criações.

O espetáculo dinamarquês “Double Rite” também mistura dança e teatro em duas performances inspiradas na obra A Sagração da Primavera, de Igor Stravinsky. A perda da inocência é o assunto da companhia Granhøj Dans, que em seu trabalho celebra os ritos de passagens de meninos para homens e de garotas para mulheres.  Em “Rite of Spring – extended”, sete personagens masculinos entram em cena. A versão feminina, “Rose: Rite of Spring – extended 2”, traz oito mulheres ao palco, inclusive uma pianista cujo instrumento se transforma em parte do espetáculo.


EVENTOS SIMULTÂNEOS
Gastronomix, Guritiba, Mish Mash e Risorama são os quatro eventos simultâneos que integram a programação do Festival de Teatro de Curitiba e movimentam a capital paranaense nos 13 dias do evento. Mish Mash será realizado nos dias 4 e 5 de abril, tem direção artística de Rafael Barreiros, o Palhaço Alípio, da Cia dos Palhaços, e reunirá atrações de ilusionismo e mágica. Com curadoria de Diogo Portugal, o Risorama reunirá o melhor do stand up comedy do Brasil de 26 a 31 de março.

Primeira feira de alta gastronomia de Curitiba, o Gastronomix chega à sua sétima edição, com espaço ampliado para as crianças. Nos dias 28 e 29 de março, chefs estrelados e pratos de diferentes lugares do Brasil compõem o cardápio do evento, que conta ainda com aulas-shows e aulas práticas de culinária. O evento também tem espaço dedicado para a Gastronomia Responsável, em parceria coma Fundação Grupo Boticário.

De 28 de março a 5 de abril, o Guritiba terá quatro espetáculos infantis: “Agora Eu Era o Herói”, comédia romântica para o público infanto-juvenil da Cia UM de Teatro, “Tucantaconto”, show musical da Cia Tricromática, “Entre Janelas”, trabalho da Tato Criação Cênica, e “Intolerância”, drama da companhia BuZum.



SOBRE O FESTIVAL DE TEATRO

Criado em 1992, o Festival de Teatro é o maior evento teatral do Brasil. Idealizado pelos jovens Leandro Knopfholz, seu atual Diretor Geral, e Carlos Eduardo Bittencourt, o Festival sempre atraiu a atenção dos principais nomes da dramaturgia nacional.
Sua primeira edição, organizada com a ajuda de Cássio Chamecki e Victor Aronis, reuniu 14 espetáculos e contou com as participações de José Celso Martinez Corrêa, Antunes Filho, Gerald Thomas, Cacá Rosset e Gabriel Vilela.
Para marcar a criação do Festival, a Prefeitura Municipal de Curitiba construiu no tempo recorde de 30 dias o Teatro Ópera de Arame, projetado pelo arquiteto Domingos Bongestabs, que se transformou num dos principais cartões postais da capital paranaense. A Ópera de Arame foi inaugurada com o espetáculo “Sonhos de uma Noite de Verão”, de Shakespeare, numa montagem inédita do Grupo Ornitorrinco.
Desde a sua criação, o Festival já reuniu mais de sete mil espetáculos, sendo 600 na Mostra Oficial, 6.200 no Fringe e 350 nos Eventos Paralelos (Guritiba, Mish Mash e Risorama). Isso já garantiu ao Festival uma plateia geral de mais de 4,8 milhões de pessoasde todo o Brasil. Todos os anos, o Festival é realizado graças à participação de 1.500 profissionais entre diretores, atores, iluminadores, figurinistas, maquiadores, técnicos, montadores, bilheteiros, divulgadores, administradores e organizadores.
A Mostra possui curadoria especial e sempre reúne estreias nacionais, grandes espetáculos internacionais e as principais produções do teatro brasileiro. O Fringe reúne várias Mostras Especiais, sem curadoria, e abre espaço para centenas de produções de todo o Brasil. Por isso, o Fringe tornou-se na vitrine mais democrática do teatro brasileiro, fora da agenda comercial do eixo Rio-São Paulo.
O Fringe faz parte do Festival de Teatro desde a sua sétima edição, em 1998. Ele se inspira na experiência que surgiu espontaneamente, em 1947, no Festival Internacional de Edimburgo, mais importante evento de artes cênicas do mundo. Sua denominação significa, em inglês, “franja” ou “margem” e traduz sua essência aberta e democrática. As companhias teatrais que formam a programação do Fringe participam do evento por iniciativa própria. Por isso, sua programação sempre reserva grandes surpresas e muitas produções originais.

NQM Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada,por nos deixar sua opinião.