Páginas

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Marco Brotto vence concurso de fotografia com Aurora Boreal












            As imagens que o curitibano Marco Brotto faz do fenômeno Aurora Boreal têm encantado as pessoas pelo mundo. E foi com uma delas que o caçador de Aurora Boreal acaba de ganhar o II Concurso Nacional de Astrofotografias.
Ele foi o 1º colocado na categoria Geral com a imagem “Aurora Boreal”, feita na Noruega, em janeiro de 2012. A premiação contou com a inscrição de quase 150 imagens, entre elas retratando Júpiter, Sol, Lua, estrelas e relâmpagos. O concurso, criado em 2013, é voltado para a temática astronômica e os vencedores são pontuados em uma votação mista, formada pela população e por especialistas em foto.
E para quem também sonha em fotografar a Aurora Boreal, mas acha impossível, o caçador de Aurora Boreal Marco Brotto será o coach de uma expedição em busca do fenômeno na Noruega. A viagem será entre os dias 15 e 23 de fevereiro de 2015, visitando as cidades de Tromsø e Sommarøy.
            “Fico muito feliz em poder compartilhar as imagens da Aurora Boreal. Sei que são poucas as pessoas que têm a chance de presenciar o fenômeno. E para captar uma imagem dessas é preciso estudar muitos mapas, analisar o clima, e esperar por muitas horas até que o céu fique colorido. É uma emoção incrível”, afirma Brotto.    
Sobre o Caçador de Aurora Boreal - “Eu sempre fui aventureiro e quando estava em uma viagem com amigos ao Death Valley surgiu um comentário sobre as luzes do Norte e eu resolvi pesquisar”, explica.
            E foi da dificuldade em presenciar as luzes que acabou se tornando coach do espetáculo natural. As pessoas acham que é só chegar a determinado país e olhar para cima, mas não é bem assim. É preciso perseguir o melhor lugar, saber onde o céu estará limpo e muitos outros detalhes analisados por meio de 11 gráficos. Também é preciso muita paciência e determinação.
Durante sua primeira expedição ao Alasca, Marco não conseguiu ver a Dama do Norte. Já na sua segunda viagem, mesmo com as noites fechadas, várias tentativas frustradas, nevascas e deslocamentos enormes, no último instante, sozinho no meio dos Fjords Noruegueses, ele conseguiu visualizá-la.
"Quando consegui ver aquela maravilha toda, sozinho no meio do Ártico, não sabia se eu corria ou se eu gritava. A temperatura era de -15ºC eu fiquei com o corpo todo arrepiado de emoção. São espetáculos como este que mostram o quanto somos frágeis e, ao mesmo tempo, abençoados. Foi quando tive a certeza de que aquele momento deveria ser compartilhado com o máximo de pessoas”, complementa.
            E foi no meio de uma visão dessas que Brotto pediu a namorada, Laurize Ruzza, em noivado. “No fim de 2012, fomos para a Noruega. Ficamos dez dias procurando o fenômeno. Na primeira vez que ela viu a aurora boreal, fiz o pedido”, conta.
            E enquanto está em Curitiba, não descansa, manda informações para outros viajantes, pela internet, para ajudá-los a encontrar o fenômeno.
            Sobre a aurora
O sol está sempre em atividade: explosões solares e filamentos são eventos normais e ocorrem sem nenhum aviso. Quando ocorre a liberação de massa coronal, se ela estiver voltada para a terra, possivelmente haverá aurora boreal. "Além da ejeção de massa coronal temos que ter mais dezenas de fatores para que possamos ver a aurora boreal, é realmente uma caça. Em 2013, na Noruega, junto com outro caçador brasileiro Arthur Klas, dirigimos 1400 km para chegar a uma região que estaria com céu limpo, foi cansativo, porém gratificante".
            Veja os locais em que Marco Brotto presenciou a aurora boreal:
Estados Unidos
Finlândia
Islândia (Iceland)
Noruega
Região de Svalbard (Pólo Norte)
Suécia
Rússia
Canadá

Facebook @brottomarco
Instagram @marcobrotto
Twitter @marcobrotto

Fonte: Rafaela Salomon Comunicação
Foto: Marco Brotto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada,por nos deixar sua opinião.