Páginas

sábado, 13 de setembro de 2014

Azeite de oliva todo o mal tira








Já diziam os sábios portugueses! Além dos benefícios nutricionais do azeite, ele está intrínseco na culinária portuguesa e é usado nos tradicionais pães portugueses da Doce Fado, em Curitiba (PR)

O azeite de oliva português é um dos melhores (se não o melhor!) e mais reconhecidos do mundo. E não é por menos, o país produz mais de 76 mil toneladas do produto por ano para abastecer seu mercado interno e externo. Esse produto, hoje usado em praticamente todas as receitas da culinária portuguesa, já teve funções nada usuais na história. Há 5 mil anos, as pessoas untavam o corpo com o azeite de oliva para se proteger do frio e durante as guerras era utilizado para o alívio de dores e curar feridas, por exemplo. Ele chegou até a ser queimado e usado como combustível para iluminação, lubrificante para as ferramentas e base para remédios.

Essa especiaria foi um dos primeiros produtos exportados por Portugal, o que continuou durante o descobrimento e colonização do Brasil, motivo pelo qual também absorvemos essa demanda e gosto pelo ingrediente e estamos entre os dez maiores importadores mundiais de azeite de oliva. “Em Portugal, ele tem papel central na culinária até hoje, tudo se come com azeite, desde o pão caseiro do couvert, até o bacalhau mais sofisticado”, explica Paulo Cordeiro, sócio e chef português da Doce Fado, doçaria tradicional portuguesa em Curitiba (PR). Além de toda sua versatilidade, ele vem ganhando ainda mais destaque pelo reconhecimento e experimentação de seus benefícios para a saúde.

Esse produto se diferencia em alguns tipos pela sua forma de produção. O azeite de oliva pode ser extra virgem, de acidez menor que 1%, processo pelo qual a azeitona, colhida no pé, sofre sua primeira prensa. Azeite virgem, de acidez entre 1% e 2%, é quando se usa o fruto que já caiu do pé para fazer a primeira prensa e os outros são as prensas posteriores, com maior acidez. “No Brasil, muito desses produtos importados vêm com referências equivocadas sobre o tipo do azeite e seu grau de acidez. Esse foi um dos motivos pelos quais decidimos usar em nossas receitas apenas azeites extra virgens de altíssima qualidade, vindos direto da fonte, com grau de acidez e tipos comprovados”, explica Robson Galvão, sócio da Doce Fado. A loja utiliza esses azeites na produção de todos seus pães, é uma oportunidade do consumidor provar um produto de alta qualidade.

Sobre a Doce Fado
A Doce Fado é uma padaria e doçaria tradicional portuguesa que traz um pouco da cultura do país para o Mercado Municipal de Curitiba (PR). A empresa é resultado da união das famílias Cordeiro e Galvão (tradicionais no segmento em Portugal) à família Romanelli - atuante na área de indústria de alimentos no Brasil há mais de 60 anos. O cardápio da Doce Fado é variado, composto por mais de 30 opções entre doces, salgados e pães, destacando-se o pastel de Belém e o pastel de Santa Clara. Para manter a tradição e o sabor original das receitas, os ingredientes são todos portugueses e a cozinha é comandada por um chef confeiteiro vindo direto de Portugal, que elabora todos os produtos de forma artesanal.

Serviço:
Doce Fado
Av. Sete de Setembro, 865
Box 55 - Mercado Municipal - Curitiba -PR
Fone: (41) 3282-1652
Horário de Funcionamento: terça-feira a sábado das 9h às 18h e domingo das 9h às 13h.

Fonte: BG Comunicação Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada,por nos deixar sua opinião.