Páginas

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Tecnologia em favor da meditação





Aplicativo “5 minutos, eu medito” está disponível para smartphones nas plataformas IOS e Android


Usar a tecnologia para disseminar o exercício da meditação. Esse foi o caminho encontrado pela ONG internacional Mãos sem Fronteiras disponibiliza um aplicativo para smartphones (disponível para as plataformas IOS e Android) para difundir a simplicidade da meditação e os benefícios que o exercício provoca em quem o pratica.

O nome do aplicativo é “5 minutos, eu medito” e a ideia é despertar o usuário, lembrando que apenas 5 minutos de exercício são suficientes para promover a saúde e o equilíbrio necessários para enfrentar a correria e o estresse do dia-a-dia.

Com uma imagem de um balão, símbolo da campanha “5 minutos, eu medito” para difundir os benefícios da prática, o aplicativo mostra passo a passo para iniciar o exercício 3-5-3 – três respirações longas e profundas, cinco minutos de meditação, seguido de outras três respirações longas. Após essa etapa, o aplicativo convida a iniciar a meditação: um cronômetro marca o tempo e uma trilha musical ajuda no esvaziamento da mente.

Cada 5 minutos meditados são inseridos num contador chamado de “meditômetro”, disponível no site eumedito.org.br – até agora o site já contabiliza mais de 1,2 milhão de minutos dedicados em todo o mundo a meditação. O meditômetro foi lançado junto com a campanha 5 minutos, eu medito e os mais de 1 milhão de minutos meditados foram comemorados num evento que reuniu mais de 11 mil pessoas, no centro de Curitiba – sede nacional da ONG Mãos sem Fronteiras.

“Queremos mostrar as pessoas que meditação é uma atitude positiva e simples, de forma a trazer benefícios para quem as pratica“, assegura a coordenadora nacional da ONG Mãos sem Fronteiras, Lilian Miranda. Entre os benefícios da meditação estão melhor capacidade de raciocínio, oxigenação cerebral, sono com mais qualidade, tranquilidade para tomada de decisões e a promoção do equilíbrio e bem-estar individual e da coletividade. Segundo Lilian, a intenção é disseminar o exercício nos hospitais, escolas, presídios, entre outras comunidades.

Fonte: NQM Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada,por nos deixar sua opinião.